segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Kimono Vermelho na Bienal do Livro SP 2014 - Dia 3

Pense numa pessoa que ficou três horas rondando esse Espaço Imaginário. Exatamente: eu!
E enfim encerramos a cobertura do blog na Bienal do Livro!
Há considerações a serem feitas sobre 2016 e outras curiosidades com os bastidores desses três incríveis dias! Bora lá, cambada!

Sexta, 29 de Agosto de 2014...
Como a palestra que me interessava estava marcada para às 19:00 horas, resolvi que faria algo preocupante em plena sexta feira paulistana: sair depois do almoço rumo ao evento.

Para quem não conhece São Paulo temos algumas peculiaridade aqui. Por exemplo, o trânsito.
É sabido que o tráfego se torna insuportável em certos dias e horários, segunda à sexta no começo da manhã, na hora do almoço e no final da tarde por conta de escola e trabalho. O último dia útil da semana, principalmente, é o mais afetado.
É claro que certas vias só ficam transitáveis depois do almoço ou de madrugada, sei porque já perdi a conta das vezes que tive que atravessar a Av. Bandeirantes e a Av. do Estado em horários inóspitos.

Saí de casa com a ABPE (vá na parte "acompanhante" ali embaixo e você entenderá) e a carona às 13:35 horas em ponto!
Depois de uma hora de trânsito finalmente chegamos no nosso destino.
Dia 29/08 foi o meio termo entre os dias 23 e 26/08 em questão de fila.
Como a visitação escolar entrava pela lateral, a bilheteria estava sossegada.
Apesar das pessoas com roupas confortáveis, ainda vi muita gente achando que estava na passarela dentro do evento.
E por incrível que pareça não tinha tanta fila quanto eu esperava que teria (por ser uma senhora sexta feira). Combinei então com a assistente que passearíamos um pouco e depois bateríamos ponto no Espaço Imaginário, onde seria a palestra de Cassius Medauar, o editor-chefe da JBC.

O relato do terceiro dia acaba aqui.
Agora vamos falar sobre como voltar ao caixa da mesma editora e paquerar staff do evento.

Você pode acompanhar os posts dos outros dias em Kimono Vermelho - Dia 1 - 23/08 e Kimono Vermelho - Dia 2 - 26/08.

Evento: 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Dia: 29/08/2014 - Sexta
Horário de entrada (aproximadamente): 14:40h (fila para comprar ingresso) e 15:50h (entrada no pavilhão)
Horário de saída (aproximadamente): 20:43h
Almoçou/lanchou/jantou no evento: Lanchei.
Nota para o almoço/lanche/janta (de 0 a 10): 10 o lanche.
Total de fotos do evento no dia: 38
Compras: 2 livros
Viu qual palestra?: Uma. (Fala sério! #sqn HQ's e mangás - Espaço Imaginário)
Acompanhante: Assistente do Blog Para Eventos (ABPE)
Nota para o dia (de 0 a 10): 9

O último dia... até 2016
Para quem tem a curiosidade de saber como são as ruas da Bienal.
Por incrível que pareça, o evento não estava entupido como eu achei que estaria em plena sexta feira. Ou seja, reforço que os melhores dias para ir são NA SEMANA! Sigam as minhas dicas e não vão passar UM DÉCIMO da raiva que passariam sem lê-las. Sério, tia Kimono sabe o que fala.

A 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo terminou neste domingo (31) com certeza com gente saindo pelas frestas do Anhembi, ao menos pelo que li nas reclamações, digo, avaliações do evento no Facebook. Uma moça disse que parecia que tinham descoberto apenas este ano que existia a "feira do livro" e não posso deixar de concordar dela.

Eu e a assistente, enquanto esperávamos dar a hora de pegar as senhas para a palestra ficávamos observando as pessoas que passavam e em alguns casos tínhamos quase certeza de que só foram porque queriam sair de casa, e não para aproveitar o conteúdo oferecido no Anhembi.
Entre eles, também estavam os novos leitores, aqueles que se apaixonaram por Kiera Cass, Cassandra Clare, Suzanne Collins e outros autores em alta hoje em dia com suas obras best-sellers.
Por mais que eu não prestigie vários desses escritores simplesmente por querer outros estilos no momento, acho incrível o que eles conseguem fazer com pessoas que antes não tinham nenhum interesse por livros, tornando até mesmo parte desses leitores em futuros autores. É algo admirável e um crédito que não deve ser tirado deles.

Limpeza
Foi num dia que lotou a Bienal? Não tenha raiva de mim, em 2016 vá em dia de semana!
A raiva mesmo era quando paravam no meio do corredor como se não existisse mais ninguém atrás, sabe?
Vi muita gente reclamando da limpeza do Anhembi, no entanto, acho que esqueceram de incluir o alto tráfego de público e, óbvio, A PRÓPRIA PORQUICE. Isso ninguém lembra, né?

Sim, tinham lixeiras para todos os lados e eu cansei de contar o número de funcionários que passavam quase de cinco em cinco minutos (às vezes de dez em dez) colhendo o lixo.

Sem falar nas mulheres que estavam de plantão no banheiro feminino e que tinham que lidar com a PORQUICE DO PÚBLICO que fazia xixi fora do vaso, tacava papel na privada e não dava descarga...
Engraçado demais reclamarem quando também não movem um dedo, né? Se liguem!

O problema não é o pessoal da limpeza, é a falta de educação de um público que acha que porque tem gente para catar a nojeira deles, então que se faça a lambança! Tomar vergonha na cara vocês realmente não querem, né?
Desculpa, só que ter paciência com hipocrisia e falta de educação é pedir demais.

Dez minutos antes de liberarem a entrada para a palestra, uma senhora do staff desceu do mirante e pediu para um de seus colegas chamar a equipe de limpeza para deixar o ambiente o mais agradável possível.
Normalmente por causa da preguiça, o pessoal acaba fechando os olhos para isso, então foi bacana ver essa iniciativa.

Acessibilidade e Mobilidade
E eis que descubro esse "Espaço Ilustrador" e percebo que não andei nem METADE do Anhembi.
A moça de laranja parecia estar fazendo uma mandala. Trabalhoso, mas bonito!
Ambas estavam boas.

Vi pelo menos umas oito pessoas de cadeiras de rodas (entre elas, três motorizadas) e elas não pareciam ter problemas para se locomover entre os corredores e os estandes. Perto do sábado (23), a sexta feira estava bem mais fácil de transitar.
O que deixou um tanto quanto chocada e chateada foi o fato de os outros ignorarem a existência dos cadeirantes, fingindo que eles não existiam. Chato isso, pois ambos temos os mesmos direitos e devemos ser respeitados igualmente.

Eu sei que parece difícil/estranho/desconfortável/complexo interagir com pessoas muito diferentes de nós, mas a vida é sobre romper esse tipo de barreira e lembrar que independente de tudo, somos seres humanos, só precisamos aprender a nos comunicar.
A assistente queria COMPRAR O SAPO INFLÁVEL... Deixei-a com a foto apenas.
Visitação escolar à toda! Além de alguns batutinhas, muitos adolescentes também estavam por lá, mais espaçados, com mais liberdade para se movimentar com seus amigos.

O ruim mesmo foi o fluxo intenso de pessoas que estavam indo embora bem pelo corredor ao lado do hotel Holiday Inn (era lá que ficava a fila "certa" para chegar até a bilheteria).

Pagamento
Alguns estandes não estavam dependendo do Wi-fi (♫ maquininha alto-cima, alto-cima, alto-cima! ♫) e fizeram o favor de plugar suas máquinas nos fios para que não dessem problemas. Ainda assim, é preciso dizer que o dinheiro era quem reinava e mais se movimentava por lá.
A dica que fica (para 2016) é não levar valores grandes como R$ 100 e R$ 50 por falta de troco em vários lugares (churrascaria, carrinhos de sorvete, estandes de editoras).

A Muvuca do Maurício
"Quanta gente com câmera profissional. Será que é uma escritora de livros de adolescentes aborrecentes?"
Descobri que o meu celular demora cinco segundos para tirar uma foto...
Estávamos eu e a assistente andando contentes e felizes pelos corredores do Anhembi quando presenciamos um aglomerado de pessoas.

Assistente: Tem alguém famoso ali.
Eu: Opa! Bora lá! *pensa numa pessoa que, de repente, encorporou a jornalista*

Infelizmente não muito gigante, apenas consegui observar um monte de fotógrafos, até que meus afiados ouvidos captaram o nome de "Maurício de Sousa" soar ali no meio da muvuca. Não podia deixar a oportunidade passar, pois na minha primeira Bienal também acabei me encontrando com o pai da Turma da Mônica. A foto na época foi tirada com uma câmera que ainda usava filme (não conhece? Pergunta para os seus pais, tios e avós).

Embrenhando-me como o animal do meu signo chinês, mesmo parecendo um pequeno elefantinho, deixei a assistente em um canto seguro e fui em busca de fotos, pauta e OLHA A GENTE AQUI SE FALANDO E... Ok, não estamos nos falando, leitor... só na minha cabeça.
Gente, por que vocês têm credenciais e eu não? EU QUERO UMA!
E lá vai o Sr. Maurício autografar alguns livros enquanto eu banco a "Peter Parker" pobre.
Escrevo "Sr. Maurício", mas mentalmente estou chamando-o de "Seu Maurício".
Confesso que esse moço de preto à direita me atrapalhou em alguns momentos...
Enfim, tentei me aproximar por trás para tirar uma foto.
Por alguns instantes troquei olhares com o segurança, como quem diz: "MOÇO, PELAMORDIDEOSMATOBA, EU SÓ QUERO UMA FOTO, É SÓ UMA FOTO".
Como o ângulo me prejudicava e a prioridade era dos profissionais, mais uma vez encontrei como pude uma brecha, agora na parte da frente. Foram pelo menos umas dez tentativas para trazer duas fotos mais ou menos boas com o rosto do Sr. Maurício de Sousa. Ele estava em um canto de um estande de editoras internacionais (Books from Germany - Frankfurter Buchmesse).

Quando terminei a minha seção, vi uma moça ao meu lado tentando também fotografar o homem e cedi meu espaço privilegiado. É sempre bom quando "todos ganhamos", certo?

Falando sobre mangás e HQ's com muito (bom) humor
Garanti meus ingressos para a palestra e fiquei toda "pulante" com eles na mão!
No Espaço Imaginário tinha essa tela que anunciava as atrações que rolariam em toda a Bienal naquele dia e nos próximos.
Obviamente o destaque do dia foi o bate-papo (que eu chamo de "palestra") com Cassius Medauar e Heitor Pitombo no mirante do Espaço Imaginário.
Se tinha um local em que eu poderia ser reconhecida, com certeza era esse, já que a lotação era de oitenta pessoas.

Quase nenhum lugar vazio no começo da conversa e que por causa do horário cada vez mais "tardio" foi esvaziando aos poucos. Ainda assim foi uma diversão!

A novidade foi O Cão Que Guarda As Estrelas (Takashi Murakami) com Cassius na palestra, uma bela versão para livrarias como pude ver de longe. Aliás, nem é preciso ir muito perto para ver a qualidade que a editora está imprimindo em suas obras atualmente (digo isso pelas apaixonantes capas de Sailor Moon - e olha que eu tinha prometido NÃO COMPRAR esse mangá quando ele foi anunciado, agora estou colecionando).

Cassius falou sobre mercado nacional de mangás, Brazil Mangá Awards e as traduções de Magi - O labirinto da magia. Estas e outras informações vocês verão em um post especial nas próximas semanas! Então fique de olho no blog e no Twitter para não perder!

Só para não dizerem que não falei do Pitombo: o cara é MUITO comédia!!!

São Paulo Bienal Fashion Week (NOT!)
Só na sexta notei que dentro do estande eles passam essas animações na lona da parte de cima.
Nada contra a vaidade alheia, mas contei pelo menos umas SEIS mulheres de salto alto (quatro a cinco dedos de altura) andando pelo piso elevado desigual do Anhembi e fiquei realmente apavorada, visto que, uma andava de jeito tão torto que o salto já estava desalinhado.

Momento "Mulheres, vamos aprender a andar de salto"
Para quem não sabe, quando você anda com esse tipo de calçado, usa apenas o peito do pé. É o jeito correto e elegante de dar aquelas passadas seguras e bonitas como as moças das passarelas, e não feito uma pata que usa o calcanhar e ferra o salto do sapato. #FICAADICAPARAVOCÊNÃOFERRARSEUSAPATOAMIGA

Eu realmente entendo que as pessoas queiram parecer e se sentir bonitas, só que o conforto também deve ser ALTAMENTE levado em conta, porque, MEU AMOR, se você acha que o Anhembi é o quintal da sua casa está redondamente enganada. AQUILO É A PORCARIA DO SEU BAIRRO INTEIRO MAIS A VILA MARIANA E O IPIRANGA.

E nada desse papo cafona de que mulher tem que sofrer para ficar linda, não seja idiota. Evento desse tamanho pede conforto.
FALEI MESMO!

"Calma, Kimono, calma. A gente entendeu" - Bom mesmo!

Curiosidades paralelas de um universo kimonístico
Um dia quero assistir alguma palestra desse Cozinhando com Palavras.
Adoraria saber se tem alguma coisa para as pessoas comerem também.
Afinal, como falar de comida sem saciar os estômagos vorazes perdidos pelo Anhembi.
Ainda antes de rolar a Copa do Mundo aqui no Brasil, eu já estava procurando informações sobre o evento. Infelizmente as notícias mais certeiras só surgiram depois da festa do futebol, o que acabou atrasando parte da minha própria programação.

Em 2012 foi tudo muito em cima e por isso decidi que a de 2014 teria uma preparação especial.

Quando estava com as datas em mãos procurei minha chefe e negociei minhas "férias" na semana da Bienal.
A princípio seria apenas um dia (dentro da semana), mas minha assistente do blog para eventos achou interessante que eu fizesse uma cobertura, algo inédito até aquele momento.
O cronograma era participar dos dias 25 a 29 de agosto, contudo, o destino nem sempre segue os meus planejamentos, principalmente se falarmos de Bienal do Livro, então acabei ficando com os dias de finais divisíveis por três.

Por conta das palestras que me interessavam, eu acabei pegando uns dias bem complicados, ao mesmo passo que no trabalho rolavam as mais loucas mudanças.

Chefe: A mulher tem O ANO INTEIRO pra pedir esse serviço E ELA PEDE BEM NA SUA SEMANA DE EVENTO.
Eu: Deos Matoba tá sendo um péssimo "deus" pra ser devota, chefe... 

Como fui promovida depois da JBC anunciar a data de lançamento de Magi, não tinha como fugir.

Das cinco palestras que eu gostaria de ter assistido, vi apenas duas. Parece uma perda enorme, contudo, três eram no primeiro final de semana. A do Harlan Coben no mesmo dia em que tias Cassandra Clare e Kiera Cass estavam no recinto e cheguei atrasadíssima, e duas no domingo que preferi trocar pelo churrasco na casa do parça*.
Como sempre o Grupo Bandeirantes esteve lá com um espaço bem maior e mais luxuoso que o da última Bienal.
E haja gente com câmera, credencial de imprensa e microfone andando por lá.
Foi a primeira vez que tive o prazer de ir mais de uma vez no mesmo evento e adorei poder trazer vários tipos de impressões, seja indo cedo, à tarde, saindo mais cedo ou à noite, comprando muito ou pouco, indo num dia entupido ou mais tranquilo. Fico muito alegre de ter podido passar por essas experiências e contá-las a vocês. Foi incrível!

Meus planos para 2016 é tentar novamente cobrir o evento em três dias e assistir quantas palestras eu puder, não só de assuntos que me interessam, mas também "caindo de gaiata" em algumas escolhidas aleatoriamente.

Tentarei novamente o credenciamento para blogueiros (se tiver) e conto com a ajuda de vocês leitores para divulgarem o blog para amigos e conhecidos. Quanto mais visibilidade, maior a chance de conseguir a credencial.

Se não der, é só rezar para a Samsung firmar novamente essa parceria com a Bienal que daí é meia-entrada garantida!

Percebi que algumas "salas" permaneceram da 22ª edição para esta, como o Salão de Ideias e o Cozinhando com Palavras, enquanto o Deu a Louca nos Livros (substituído pelo Espaço Imaginário), Livros & Cia. e o Espaço Jovem #você + Quem = ? deram lugar a outras seções.

Compraaaaaaaaas! (Versão Na Mesma Editora)
Os marcadores de páginas ganhei ao entrar no mirante do Espaço Imaginário.
É curioso, visto que, na Bienal anterior EU DEIXEI DE COMPRAR ESSE LIVRO DO AUGUSTO CURY (que faz parte de uma trilogia - esse é o Semeador de Ideias) por alguma razão que não lembro agora (provavelmente esquecimento) e fiquei bem chateada na época. Eis que estou saindo do raio do estande da editora E ME DEPARO COM ESSE 1808 (Laurentino Gomes) QUE EU ESTAVA NAMORANDO VIA INTERNET FAZ UM TEMPO!

Voltei para o caixa...

Não, não vai ter resenha, esses são apenas para a minha higiene mental.
Se não me engano esse 1800 e bolinha é uma trilogia/série sobre determinadas passagens da História do Brasil e suas consequências no país (afinal, o que foi essa portuguesada chegando de boa para viver aqui, né?). Pretendo comprar os outros, porque ando bem interessada em saber o que rolou no passado para a "terra do futebol" ter ficado tão zoada.

Como dizia meu querido professor de História: "É estudando o passado que entenderemos o presente e poderemos mudar o futuro".

Kimono jaz... extremamente feliz!
Os R$ 20 mais bem investidos em um evento. Toma essa, Anime Friends! q
"Kimono, esperei até agora para você falar sobre o negócio da paquera e... Cadê?" - Vocês adoram uma fofoca, hein?

Pode pular este parágrafo, já que é só asneira, tá? O próximo terá as considerações sobre o evento.
Muito bem, bora falar de aleatoriedades porque eu adoro contar histórias sem nexo. hehehe Encontrei um cara do staff que achei bonito, simpático e educado, coisa que hoje em dia é difícil de encontrar ao mesmo tempo em um só homem (bom, troque por "ser humano", visto que, está realmente difícil de encontrar). Era bom em se impôr com os apressadinhos/espertinhos e era uma gracinha, afinal, de banana já me basta o Asahi de Haikyuu!!. É só isso.

Em suma, o que posso dizer é que a experiência foi fantástica e espero que vocês também tenham aproveitado, se não o evento, os posts sobre.

Peço desculpas por não trazer os textos nos dias dos eventos, mas eu estava muito cansada. Pode não parecer, só que ficar horas à fio andando, preocupada com horários, estandes para tirar foto, pegar o máximo de informações que conseguir, garimpar livros e trazer um bom conteúdo para o blog é exaustivo. Por isso me permiti escrever com mais calma.

A Bienal, para mim, fechou com chave de ouro. Apesar dos tropeços pelo caminho e dos erros grotescos de organização, a experiência ainda assim se mostrou interessante, principalmente quando se vai preparado para vários tipos de situações (até papel higiênico cheguei a levar no primeiro dia).

Não foi o melhor evento, porém, deu para aproveitar se você se programou e não caiu de gaiato com a cara e a coragem.

Este foi o TERCEIRO e ÚLTIMO dia do blog Kimono Vermelho na 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

AVISO: As fotos com rostos muito próximos ou fáceis de identificar já foram previamente borradas na edição das fotos. Ainda assim, se você saiu em alguma foto e não quer que ela permaneça no site ou seja censurada com mosaico ou borrada, por favor, envie uma mensagem ao e-mail: akai.kimono@gmail.com - comprovando sua identidade [vamos evitar "falsos-positivos"].

*parça: parceiro/amigo/pau pra toda obra/mão na roda (vai que alguém não sabe).

Por Kimono Vermelho (01/09/2014)

2 comentários:

  1. gente esse lugar é muito grande!!!

    entãooo... já que virei comentadora bate ponto nos posts da kimono, aqui estou eu novamente!

    não sei se era exatamente no cozinhando com as palavras, mas acabei de ver que os rapazes do Miolos Fritos estiveram na bienal, cozinhando e servindo numa palestra . Link:

    https://www.youtube.com/watch?v=QCAfxSxhxf4

    e vi no instagram acho que do chocolatria foi também e, bem com esse nome, levou bombons de chocolate lá (sigo o instagram só por causa das fotos de doces lindos), quando vi realmente queria estar lá!!!

    vamos ver se no proximo eu vou, assim como na gibicon que tem em curitiba!!!

    uma das vezes que fui na bienal o Mauricio IA chegar e já tinha uma fila dando volta no estante para pegar autografo! e na 1ª bienal que fui peguei acho que a maior e mais desconhecida fila de autografos de 2010, a do Eduardo Spohr, com a Batalha do Apocalipse, cheguei a ver a palestra dele e tentar fazer uma pergunta, tinha uma maravilhosa e bem pensada e bem colocada (tava me sentindo a jornalista literária, com direito a referencia ao titio machado de assis na pergunta), quando finalmente chegou o microfone em minhas mãos, travei, minha mão tremia segurando o microfone, gaguejei, esqueci a pergunta e nada saiu direito, não posso com microfones e falar em publico

    bem até mais
    Inis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Inis!

      Sim, o Anhembi é enorme.
      Eu vivo para stalkear Instagram das pessoas só para ver foto de comida... D:
      Microfone é questão de treino, não é um bicho de sete cabeças. É claro que quem não está preparado, além de nervoso com a pergunta, ao se escutar falando no microfone vai achar a coisa mais louca do mundo. XD

      Obrigada pelos comentários! o/

      Excluir

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.