sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Kimono Vermelho na Bienal do Livro SP 2014 - Dia 2

O milagre de finalmente poder ver coisas que no sábado eram impossíveis!
Eu sei lá Deos Matoba o que está acontecendo comigo ou se a culpa é mesmo das horas que passei andando nesse Evento da Zoeira chamado Bienal do Livro.

Terça, 26 de Agosto de 2014...
Com certeza o plano de dormir "só mais uns cinco minutinhos" sairia do controle a partir do momento em que o sono e a carona começaram a disputar a prioridade no meu cérebro.

Levantei, fiz tudo o que uma pessoa normal faz entre o despertar e o café-da-manhã, muni meu buchinho de um delicioso misto-quente feito pela assistente do blog para eventos e entramos no carro do carona para enfrentar mais aquele caloroso dia de Bienal.

Por mais que o caminho fosse cortado, na hora em que caímos na Av. do Estado foi batata: trânsito pesado.
Como o blog anunciou no post anterior, o engarrafamento para o local não dependia nem de dia e muito menos de horário.

Ainda assim, com as bençãos de Deos Matoba, chegamos razoavelmente cedo e entramos mais cedo ainda.
A sensação boa de ver o chão e de aproveitar a primeira meia hora de um local que tinha acabado de abrir as portas foi com certeza INCRÍVEL.

Depois de um sábado macabro como aquele, era óbvio que por mais "cheio" que o Anhembi ficasse em um dia de semana, ele jamais lembraria o dia 23/08.

O relato do segundo dia acaba aqui.
Agora vamos falar de como dá para se divertir muito mais de segunda à sexta do que de sábado e domingo.

Confira o sofrimento da Kimono Vermelho no Dia 1 de Bienal do Livro SP.
Em pensar que fiquei plantada nesse corredor coberto no sábado...
Se você voltar no post do dia 23/08 e comparar as fotos, vai querer chorar.
EU quis chorar quando vi esse negócio vazio, feliz, contente e "andante"!
Feliz de quem pode presenciar este estado de paz na bilheteria da Bienal...
Evento: 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Dia: 26/08/2014 - Terça
Horário de entrada (aproximadamente): 09:15h (fila para comprar ingresso) e 09:17h (entrada no pavilhão)
Horário de saída (aproximadamente): 16:40h
Almoçou/lanchou/jantou no evento: Almocei e lanchei.
Nota para o almoço/lanche/janta (de 0 a 10): 5 o almoço e 10 o lanche.
Total de fotos do evento no dia: 93
Compras: 4 livros e 8 mangás
Viu qual palestra?: Uma. (O papel do escritor brasileiro hoje: ouvi-los ou lê-los?  - Salão de Ideias)
Acompanhante: Assistente do Blog Para Eventos (ABPE)
Nota para o dia (de 0 a 10): 8

O paraíso fica aberto de segunda à sexta, antes das seis da tarde
Apreciando a beleza dessa árvore de flores vermelhas... e o lago de cor "verde eca".
O subtítulo pode parecer exagero, mas o que passei no sábado de titia Clare e titia Kiera foi realmente o que posso chamar de abuso humano.

Muito ao contrário do final de semana das autoras best-sellers, a terça feira estava gostosa. É bem verdade que o anúncio de chuva visto no Bom Dia São Paulo (Globo) para o "final da tarde" me deixou um pouco preocupada, contudo, a minha assistente sossegada tratou de afastar quaisquer pensamentos negativos do ambiente.

O evento estava tão vazio antes das nove e meia da manhã que eu quase acreditei na possibilidade de estar ainda em casa dormindo e sonhando com tanto espaço. Dava para ver o chão! VOCÊS ENTENDEM O QUE ISSO SIGNIFICA?
O mais impressionante com certeza foi não pegar fila em praticamente tudo.
O banheiro estava tranquilo para usar, comprar ingresso e entrar no pavilhão nunca foi tão rápido e até mesmo para almoçar não se via muita espera.

O que assustou um pouco a princípio foram os trovões e a chuva forte que caiu enquanto estávamos esperando dar o horário para pegar a senha da palestra.
Quando fui embora só vi as poças de água e o sol quente avermelhando minhas bochechas.
"AI MEU DEOS! NOSSINHORA! QUE CORREDOR ABARROTADO, SÔ!"
"TÃO CHEIO ESSE EVENTO DE DIA DE SEMANA, TÃO CHEIO, MINHA GENTE!"
Eu não quero nem ver isso na sexta feira à tarde (quando estarei no Anhembi).
Ainda que o estande da Comix Shop e a fila para pagar o almoço tenha me tomado algum tempo, é impossível comparar o dia 26 com o terrível 23.
Sem corredores tumultuados, espaço bom para relaxar e conhecer estandes de editoras menos conhecidas/famosas, e aproveitar bem o evento. Com toda a certeza os dias de semana são maravilhosos para quem quer curtir bons momentos e descobrir livros incríveis!

Obviamente a acessibilidade e a mobilidade estavam muito mais presentes.
Observei cinco pessoas de cadeiras de rodas (entre eles um adolescente e uma criança) podendo se locomover sem apertos e dificuldade pelos corredores.

Batutinhas
São ou não são umas coisinhas mordíveis e apertáveis? nhom nhom~
Acessibilidade garantida para todos e os cuidados das professoras com seus alunos.
Uma das coisas mais legais de estar cedo, em dia de semana, na Bienal, é com certeza a trilha de "batutinhas".
Muitas escolas públicas, SENAI/SESC, algumas particulares e até as do interior, escolheram mostrar aos seus pequenos alunos o valor da leitura e de como esse tipo de evento pode ser assunto para conversas de uma semana inteira dentro e fora da sala de aula!

Aproveito para deixar a minha reclamação sobre a burrice das minhas escolas em nunca terem me levado para um evento desses!
Não poderia me esquecer dela, a nova Rainha dos Baixinhos!
A "SENHORA GALINHA PINTADINHA MOÇA POSSO LEVAR PRA CASA"!
Minha primeira vez em uma Bienal foi por interesse próprio (acompanhada da fiel escudeira, o que seria atualmente a "assistente do blog para eventos"). Na época ele acontecia no pavilhão do Imigrantes (2004). Fiz poucas compras, já que não era a pessoa afoita por conhecimento que sou hoje, mas ainda assim encontrei um livro maravilhoso que li e reli pelo menos umas cinco vezes).

Além das gracinhas enfileiradas com mãozinha no ombro do coleguinha, tínhamos também Ensino Fundamental e Ensino Médio dando o ar da graça.

Claro que com o passar do tempo os corredores foram começando a encher, junto com estandes de editoras famosas, como Intrínseca, Panini e Rocco.

Não lembro onde li, e fiquei realmente indignada, sobre uma moça que reclamava do evento em dia de semana porque tinha visitação escolar. Ridículo reclamar da quantidade de pessoas quando o primeiro final de semana foi quase de guerra, com direito a muito estresse e aproveitamento zero. Isso porque eu nem quero ver a cor do brioche nesse 30 e 31 de agosto. A coisa vai ferver.
Se você acha que isso é corredor cheio, na boa, vai na 25 de Março e não me enche.
A programação para os pequenos estava bem presente, como na Praça da Palavra, que tinha contadores de histórias e várias outras apresentações artísticas e lúdicas.

Curiosidades curiosas que só rolam comigo (Versão A Assistente Também Tem Culpa Nisso)
Como eu já contei, a assistente do blog para eventos é uma pessoa muito comunicativa, por isso sempre me aproveito de suas deixas para acabar me informando um pouco mais sobre as pessoas que ali frequentam e outras situações interessantes.
Só agora eu fui entender o slogan que o Cassius usa no Twitter para a JBC.
No estande das Editoras Gaúchas encontrei um livro com lendas japonesas por R$ 48,00. Ai que caro, né? Como diria minha nobre assistente: "Caro é remédio".
Partindo do princípio que a única lista que eu me manteria fiel seria a de mangás, chutei o balde para as outras publicações.
Chorei um descontinho maneiro de R$ 8,00 com a dica de um dos rapazes do estande: falar para o chefe dele que eu (e a assistente) era gremista.
Risadas minhas à parte, fui lá na maior cara de pau e boa vontade chorar o desconto e fazer a gremista.
Acabei sabendo por ele que os expositores não têm tantas vantagens por lá como nossa linda imaginação supõe.
Sabe quanto é o almoço para os expositores? R$ 35,00, preço fixo, sem desconto nem para a água (de R$ 4,00).

Só eu acho que eles deveriam ter algumas boas vantagens? Afinal, eles estão expondo o produto, tornando aquele local atrativo, chamando gente para ir nessa budega... Sabe, eles estão ajudando a entrar dinheiro, então nada mais justo que fazer um "eu te ajudo e você me ajuda". Bem, este é o meu ingênuo pensamento de "todos podemos ganhar".
Como sempre a Comix tinha controle de acesso, porque... IMAGINA A QUANTIDADE DE GENTE COMPRANDO MANGÁ... e HQ's... e cards...
Esta foto só está aqui porque a assistente do blog para eventos é AQUARIANA, aquela gênia do mal.
[Da esquerda para a direita: Camus de Aquário e Hyoga de Cisne, personagens de Cavaleiros do Zodíacos de Masami Kurumada]
Vi muita gente no Facebook do evento reclamando dos preços caros de livros e me pergunto se algum deles foi chorar um pouco no balcão de pagamento.
Pedir desconto é um super poder que você deve usar e abusar. Conversar, fazer a barganha, não depende apenas de lábia, mas também de como você se aproxima da pessoa. A entonação da voz, o sorriso sempre simpático, a gentileza e o bom e velho jeitinho brasileiro (versão "os dois ganham", e não "se ferra aí, compadre").

Se você acha que R$ 8,00 foi pouco de desconto, pense que poderia comprar duas garrafas de água com ele. E o mais incrível é que, como eu tinha trazido água de casa, não o usaria. De pouco em pouco a galinha enche o papo.
É essa "esperteza" que pode te garantir o que falta ($$) para comprar um livro que às vezes não tem desconto de jeito nenhum, porque o valor já foi abatido para a Bienal.
Eu sinceramente achei uma graça esses livros pequeninos. Sim, à esquerda é um manequim não-vivo.
Mas é bem verdade que só entrei aí por causa da assistente que queria FOTOS do estande!
O quê? Acha que a zoeira parou por aí? Naaaaaaah! Kimono Vermelho nesse tipo de evento sempre tem um monte de historinhas para contar!

Sessão Mangás!
Falando com um rapaz da Comix descobri que Magi e Assassination Classroom (Yuusei Matsui - Editora Panini) estavam tendo uma boa saída, principalmente Magi que ele tinha acabado de repor na prateleira e já estava novamente com poucos volumes (sim, #1 e #2).

É nóis perdendo a CNH!
Corre lá no post sobre o dia 23/08 e compara as fotos, leitor!!! É de arrepiar!
Ainda estava passando Encontro com Fátima Bernardes (Globo)...
...quando eu e a assistente subimos para almoçar.
O almoço foi novamente na churrascaria, já que a assistente queria comida de verdade (arroz, feijão, mistura) e não lanche (hambúrguer e afins). Acho que já ficou óbvio que é ela quem manda quando a gente sai.

Fomos umas das primeiras a chegar e como ainda não tinham colocado as "bandejas quentes" (arroz, mistura, feijão) ficamos esperando sentadas. Foi aí que me dei conta de que minha CNH não estava no bolso junto com o RG. A assistente ficou branca e eu quase perdi a alma já pensando que teria que fazer B.O., tirar segunda via e o caramba à quatro.
Desesperada e fazendo todas as minhas preces da Deos Matoba, eis que olho para a catraca de entrada e ali está ela, a miserável que quase fez minha alma subir aos céus e ficar por lá mesmo.
Moral da história: não confie no bolso da frente da calça, ele pode te trollar.

O mais incríveis foi que eu tinha olhado ali e simplesmente não vi nada. Procurei por outros cantos, apavorada pensando que tinha caído pelo pavilhão, e quando olhei de novo o chão da catraca, a miserável estava lá. FOI DEOS MATOBA DEVOLVENDO A BICHINHA E DEIXANDO BEM FÁCIL PARA SUA BURRA DEVOTA ENCONTRAR.
Só de lembrar desse sufoco eu já fico ansiosa e apavorada. Que coisa horrível.

Felizes e contentes com o documento recuperado, fomos eu e minha fiel escudeira comer tranquilas o que o restaurante tinha a nos oferecer.

Kibon, aceito patrocínio!
Nada melhor do que sorvete como sobremesa!!!
O lanche, como sempre, ficou com os deliciosos sorvetes da Kibon (por isso são sempre nota 10).
No dia 23/08 eu optei pelo Brigadeiro e a assistente foi no Fruttare de Coco.
Já nessa terça feira, eu preferi algo menos doce e ainda assim saboroso, o Fruttare de Limão (assistente novamente provando que é a mulher do coco).
Aliás, era difícil não encontrar um carrinho da Kibon pelos corredores... Quase perguntei para a moça se ela não podia me vender aquele carrinho... #óaloka
Ainda peço um caminhão baú de sorvete para a Unilever (aceito uma minigeladeira também).

"Kimono, você está se vendendo?" - Não, estou negociando patrocínio/parceria com a empresa que tem o melhor sorvete de flocos, o que me lembra a infância. Aquele cheirinho bom traz ótimas memórias.

A realidade
Enquanto esperávamos dar o horário para pegar as senhas do bate-papo com Cristovão Tezza, Noemi Jaffe e Patrícia Melo, mediado pela jornalista Raquel Cozer, fomos abordadas por um escritor independente que tinha coragem e uma mochila com alguns livros.
Sim, é preciso ter coragem para me abordar, porque eu naturalmente corro, é instintivo.

O homem apresentou seus livros, erroneamente me sugerindo um de poesias. É, ele olhava para nós e tirava da mochila o que ele achava que seria o melhor.
Eu posso ser mulher, porém, poesia é a última coisa que eu gosto em literatura. Lembrando e reforçando, isso não quer dizer que esse tipo de escrita é o pior do mundo. Parem de achar que tudo é ruim só porque os outros dizem que não curtem.
Está aí um estande que eu acabei não entrando, porque: Lotação, pressa, "onde estava mesmo?".
Aí, queridos leitores de John Green, vosso amadinho no estande da Intrínseca.
Achei esse troninho aí tão méh! O de 2012 estava mais bonito... #MussumOfThrones
Muitos estandes bonitos, muita coisa legal para ver e muito o que andar!
Tão iluminado, tão iluminado, que o segurança tapou a cara para não ficar cego...
O que menos faltava na Bienal era coisa do SESI/SENAI/SESC. Bem bacana.
Soube por esse sofrido escritor que para imprimir mil exemplares em uma gráfica, ele precisava desembolsar catorze mil reais.
Fiquei me perguntando se vale tanto à pena "se jogar" dessa forma no mundo, ainda que nesta Bienal eu tenha sentido certo e sutil menosprezo aos autores nacionais. De qualquer forma, as ideias sobre esse assunto serão debatidas em outra hora.

Prometi a ele fazer resenha de um de seus livros (o outro foi comprado pela assistente), então aguardem Poder e Loucura de Paulo Novais em breve no blog.

Uma conversa sobre leitores e autores
Bilhete: AAAHE! Por acaso combinando com a minha animação! hehehe
Essa era uma das missões que eu tinha durante essa Bienal do Livro: assistir ao menos UMA palestra. Garanti o meu prêmio [achievement unlocked]!
Munida de um caderno, muita cara de pau, um déficit de atenção recorde, sono e uma bexiga gritando horrores comigo faltando apenas 30 minutos para terminar, assisti a conversa entre três autores nacionais mediados por uma jornalista.

O conteúdo, fotos, comentários e discussões ficarão para um post à parte que sairá no blog nas próximas semanas! Fiquem de olho!!!
Aliás, é um ótimo assunto para futuros e novos escritores que estão querendo saber o que fazer e como se comportar quando tiverem seus livros publicados!

Habemus COMPRAS!
Estão aí os achados, perdidos e inacreditáveis livros que trouxe do evento!
É claro que eu não poderia sair de mãos abanando da Bienal, já que trabalhei muito em julho para conseguir certo poder monetário. huhu

"Livro na caveira, nada na carteira", esse seria uma boa frase para começarmos este tópico.

De mangás, peguei os volumes #3, #4 e #5 de Sailor Moon, o #1 de Assassination Classroom, #15, #17 e #18 de Black Bird (Kanoko Sakurakoji) e Helena do Studio Seasons (Editora NewPOP). Desses eu só não li Black Bird (faltam o #14 e #16 para eu completar a coleção) e Helena (adaptado da obra homônima de Machado de Assis).

De livros, temos Poder e Loucura de Paulo Novais, Folhas de Papel do mesmo autor (esse é o da assistente), As Melhores Lendas Japonesas de Carmen Seganfredo e, por fim o mais caro e pesado, The Costume History de Auguste Racinet (trilíngue). Mais uma vez paguei três dígitos por um livro que usarei para um de meus projetos literários. MAIS. UMA. VEZ.

Essa é a deliciosa vida de escritora. TRABALHAR PARA COMPRAR LIVROS DE ESTUDO PARA ESCREVER SUAS HISTÓRIAS (Juruá Editora que o diga). Felizes aqueles que não precisam fazer pesquisa para suas tramas. SEUS FILHOS DA MÃE FELIZES.

Kimono jaz... cansada.
Está vendo esse local? Volte no dia 23/08 e ENCHA COM FÃS DA TIA CASSANDRA CLARE.
Da próxima vez eu descolo uma boquinha livre aí e paro de cozinhar vocês com minhas palavras. #piorpiada
BEM cansada.
Adoro quando minha chefe diz que o cliente leu a minha mente e resolveu que BEM NA MINHA MELHOR SEMANA DE "DESCANSO" LEIA BIENAL DO LIVRO ele quer que eu trabalhe. Sacomé, virei supervisora e essa promoção não veio de graça.

É por conta disso que acabei adiando este post, afinal, eu tinha que escolher entre dormir na cama ou em cima do teclado tentando escrever o texto.

Hoje, dia 29/08, vou para a Bienal também e espero de coração ter a sorte de poder assistir o bate-papo com Cassius Medauar e Heitor Pitombo. São apenas 80 lugares e eu sei que pelo horário muita gente de blog de anime vai dar um jeito de estar por lá, então quero garantir o meu furo "jornalístico", mais conhecido como "olha, tem pauta".

Este foi o SEGUNDO e PENÚLTIMO DIA.
Essa moça do canto esquerdo resume a minha alegria ao encontrar livros que estava procurando.
AVISO: As fotos com rostos muito próximos ou fáceis de identificar já foram previamente borradas na edição das fotos. Ainda assim, se você saiu em alguma foto e não quer que ela permaneça no site ou seja censurada com mosaico ou borrada, por favor, envie uma mensagem ao e-mail: akai.kimono@gmail.com - comprovando sua identidade [vamos evitar "falsos-positivos"].

Por Kimono Vermelho (29/08/2014)

2 comentários:

  1. Agora esperando para o que vai vir do seu outro dia!

    finalmente terminei de ler os dois posts e agora posso comentar (e lá vem a biblia com a inis)

    bienal em dia da semana deve ser maravilhoso!

    minha ultima bienal foi MUITO rapida, já tinha anotado os estandes principais que queria (uns 3 ou 4), estava na casa de uma amiga e fomos juntas com o namorado dela, chegando lá peguei o mapa e fomos mais ou menos rapido nesses locais (umas duas ou tres paradas em locais que nos chamaram a atenção),

    compramos a meta, passamos um pouco e fomos andar... Mas era sabado ou domingo, perto do almoço começou a ficar realmente cheio e com o peso dos livros, resolvemos voltar e almoçar em casa (melhor e mais economica ideia)

    meu planejamento de bienal hoje é, separe um dia para compras e vá direto e reto, outro ou outros para ver palestras, conhecer o lugar, ver coisas, fazer tudo junto é impossivel! Além da lotação (dependendo do dia, horario e programação) é um lugar muuito grande, se torna cansativo e etc.

    beijos Kim!

    ps: estava com saudades de ler seus posts, de certa maneira sempre me divirto junto

    Inis Barbuio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ini- Sini! q

      Dia de semana é o melhor se você quer ver os estandes, participar das palestras, comprar e se divertir um pouco.
      Eu acho que dá para fazer tudo em um único dia (se não puder ir em outros), desde que você se prepare antecipadamente. Nada a ver ficar feito um pato perdido pelo Anhembi como vi muita gente.
      Em breve volto com os posts no Kimono Amarelo também. o/

      Obrigada pelo comentário, Inis! \o/

      Excluir

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.