terça-feira, 14 de agosto de 2012

Kimono Drops: Meu aquecimento para a Bienal do Livro SP

A Bienal do Livro de São Paulo começou dia 09 de Agosto (primeiro dia apenas para profissionais do setor) e terminará dia 19 de Agosto.
Eu quero confessar que estou extremamente ansiosa e nervosa, talvez pior que uma noiva prestes a casar.


Amanhã será o dia que deixarei a vida e os problemas de lado para me entregar de corpo e alma à Bienal. Sim, pensei que não ia poder prestigiar o evento este ano, mas parece que o Universo tem pena desta pobre escritora.
Estou preparando a minha lista de compras e realmente me sentindo uma noiva. É engraçado perceber o quanto isso mexe comigo, me emociona, me faz surtar feito uma idiota. Até parece que a Copa do Mundo começou.



Em 2010, eu levei um caderninho com dezenas de nomes de livros (dica que eu ensinei no post Kimono Drops: Como aproveitar a Bienal do Livro SP) e que apelidei carinhosamente de "velho guerreiro", pois alguns títulos foram praticamente uma luta para serem encontrados.
Estou com ele em mãos e observei os livros que não comprei, mas pretendo. Isso infelizmente aumenta a minha lista e torna o meu caminho tortuoso: mais livros, mais dinheiro gasto e eu não estou com "essa bola toda"). É um pouco frustrante, contudo, vou tentar fazer a lista por prioridades.

Pretendo conversar com alguns expositores para conseguir aquelas informações que eu citei no Kimono Drops do link acima, preferencialmente por aqueles que publicam romances e ficções. Ainda preciso fazer uma lista preliminar e saber mais ou menos o que devo perguntar, como: qual o interesse da editora em publicar obras brasileiras, se eles têm um folder com a proposta ou o tipo de obras que normalmente publicam, qual o meio de contato entre o escritor e o editor, esse tipo de coisa. É uma pena que eu não tenha corrido atrás de uma credencial, só que realmente acreditava que este ano não poderia ir na Bienal (e esse sentimento vem desde o começo de 2012).

Voltando a minha lista, nesta edição vou comprar livros para entretenimento. Na Bienal passada, a maioria dos livros que comprei foram técnicos, ou seja, com assunto ligado ao que eu pretendo escrever, então resolvi que nessa eu quero me divertir e esquecer da vida embarcando na leitura.
Quero amadurecer a ideia de uma credencial e pretendo me preparar em 2013 para ter iniciativa o bastante para poder ir mais dias na Bienal do Livro e entrevistar pessoas e expositores. Assim, vou precisar fazer cartões com o meu site e o meu nome. Ok, agora bateu o desespero, vamos voltar ao presente.

Minha lista preliminar contém:


-"Caixa - As Mulheres de Jorge Amado"
Autor: Jorge Amado
Editora: Companhia das Letras
Comentário: Existem três culpados pelo meu interesse em Jorge Amado: a TV Globo com Gabriela, a Mamma Bruschetta do programa Mulheres da TV Gazeta e minha mãe. Infelizmente raramente paro na frente da televisão para assisti-la, então normalmente eu perco a minissérie, só que vi a Mamma Bruschetta falando sobre o livro e como ele é diferente da série, que fiquei extremamente curiosa. E onde minha mãe entra nisso? Bem, há tempos ela comenta sobre entrevistas que viu de Jorge Amado e o quanto ele amava escrever. Bem, acho que já era tempo de eu largar um pouco o grandioso Machado de Assis e pegar alguns livros mais "atuais". E eis que numa busca pela internet, encontrei um pecado em forma de box. Juntar Gabriela, cravo e canela, Dona Flor e seus dois maridos, Tieta do Agreste e Teresa Batista, cansada de guerra, é me fazer morrer do coração. Até agora estou sem fôlego e avoada. Pois é, eu sou uma pessoa realmente doente por livros.

-"Dercy de Cabo a Rabo"
Autor: Maria Adelaide Amaral
Editora: Globo Editora
Comentário: Apesar de não gostar das novelas da TV Globo, ela sabe como ganhar minha audiência com suas minisséries. No começo do ano, a rede de televisão lançou uma microssérie chamada Dercy de Verdade inspirada no livro e só perdi o primeiro capítulo (depois visto pela internet). Dercy Gonçalves foi uma mulher de personalidade, carismática, que falava o que queria e tinha o dom para a comédia. Foi muito bom poder conhecer um pouco da história de uma grande artista brasileira que se mostrou muito mais do que uma "velha que fala palavrão". Ela era uma diva.

-"O Semeador de Ideias"
Autor: Augusto Cury
Editora: Academia de Inteligência
Comentário: Foi por acaso que encontrei O Vendedor de Sonhos - O Chamado, um dos livros de uma trilogia incrível narrada em primeira pessoa por um professor arrogante de universidade que vê seu mundo mudar após um estranho salvá-lo do suicídio. Eu adoro a abordagem do autor com temas fortes e polêmicos, como é o caso do suicídio. Já dei muitas gargalhadas e, confesso, também chorei. Este volume é o último que faltava para a minha coleção.
Eu já escutei seguidor no Twitter reclamar, dizer que é livro de auto-ajuda, que é ridículo... Pois bem, é o melhor livro de auto-ajuda que já li então, porque narra uma história divertida e emocionante, que pode ensinar aqueles que se deixarem ensinar. Um livro para mim não é apenas leitura, é aprendizado. Nem todos me melhoram como pessoa, porém me melhoram como escritora.

-"Chocolate Amargo"
Autor: Gordon Ramsay
Editora: Best Seller Ltda.
Comentário: Sou assumidamente fã de Gordon Ramsay. Gosto do seu temperamento, do sotaque britânico, dos cabelos, dos olhos, do modo como cozinha... Gosto de pessoas determinadas e com personalidade forte, e por isso xeretei o nome dele num site de uma livraria e encontrei essa autobiografia. Por conta da minha admiração pelo terrível apresentador de Kitchen Nightmares, ganhei Um Chef para as Quatro Estações (Gordon Ramsay, editora Ediouro) e inclusive postei uma foto no Twitter, na época.

-E dois mangás (revistas em quadrinhos japonesas).

Uma coisa que eu esqueci de citar quando dei dicas para você aproveitar o evento, foi de procurar os livros que você deseja por sites de livrarias. Sei que as pessoas podem achar isso óbvio e que algumas jogaram apenas no Google e foram felizes, só que aí está a dica nem sempre óbvia: se a editora do livro que você quer não tiver um estande na Bienal, vá nos estandes das livrarias. Se eles não tiverem no estoque ali, perguntem sobre encomendas. Faz muita diferença.
Olhei aqui rapidamente e dois dos títulos que eu quero não têm estandes e tenho medo que não estejam à venda lá. Seria uma pena não comprá-los de imediato.

Bem, agora que desabafei com vocês e me sinto menos ansiosa, vou anotar no "velho guerreiro" os nomes dos livros.

E aí: já sentiu esse frio na barriga provocado não por uma pessoa, mas por um evento?

Por Kimono Vermelho (14/08/2012)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.